Resenha - Lanterna Tática | Eduardo Maia Betini

Atividade Policial em Situações de Baixa Visibilidade

A lanterna tática é um equipamento fundamental para operações policial/militar. Mais que auxiliar o operador com uma "luz portátil",  ela serve como uma ferramenta essencial de sobrevivência - se utilizada de maneira adequada a sua necessidade.

Um dos muitos incentivos para o Eduardo Maia Betini escrever esta obra é justamente a carência da literatura técnica/específica de equipamentos policiais utilizados no dia-a-dia, diferente dos Estados Unidos que possui uma gama de livros deste gênero.

No livro fala-se muito do chamado "Funil Fatal". Vou explicar pra vocês: Escadas e corredores em geral são extremamente perigosos aos policiais quando se trata de um ambiente fechado (por não ter uma rota de fuga), tendo que resumir seus movimentos em ir pra frente e pra trás. Neste caso é necessário ter bastante agilidade para então chegar ao seu objetivo, sempre com a arma em punhos e, quando for a hora cerca, saber como utilizar a lanterna tática.


Em "Lanterna Tática - Atividade Policial em Situações de Baixa Visibilidade" o autor nos explica como se dá o treinamento para combate em baixa visibilidade; como empunhar a lanterna de maneira correta;  mostra algumas técnicas; explica, detalhadamente, sobre os tipos de lanternas e como definir a ideal para seu uso entre outros. Além dos tópicos citados anteriormente, um dos que mais me chamou a atenção foi o que fala sobre os dez princípios do combate em situações de baixa visibilidade, como: análise do ambiente; ir dos menores níveis de luz para os maiores; tomar cuidado com a luz à retaguarda; ver sobre o ponto de vista do infrator; dominar com a luz; manter o foco, fogo e fuga; usar a luz interminente a alturas variadas; trocar de mão, manobrar a arma e efetuar troca de carregadores; manter o alinhamento lanterna-pistola-alvo; dominar as principais técnicas de uso da lanterna.

"O Imperador Napoleão Bonaparte dizia: Na guerra, o moral está para o físico como três para um. Significa dizer que em situações limite, a atitude correta é fundamental. Todo treinamento deve visar forjar no policial os valores supremos pelo qual ele existe como agente da lei. Daí, a importância do uso de técnicas de gestão de recursos humanos, motivação e valorização do policial, antes, durante e depois do treinamento. Nosso trabalho é treinar, e nosso treino é trabalho."

Adquira já seu exemplar clicando AQUI!




Sobre o Autor

          Eduardo Maia Betini é Agente de Polícia Federal lotado na Coordenação de Aviação Operacional da Polícia Federal - CAOP em Brasília, DF; Instrutor de técnicas policiais da Academia Nacional de Polícia, da Força Nacional de Segurança Pública, da Secretaria Nacional de Segurança Pública e do BOPE/PMERJ; Concluiu vários cursos na área das operações especiais, entre eles o Curso de Operações Especiais Policiais - COEsP (BOPE/PMERJ) e o Curso de Operações Táticas (COT/DPF); Atuou em diversas operações policiais, entre outras, a Pacificação do Complexo do Alemão, a Pacificação do Complexo do São Carlos e a Operação Guilhotina. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou da postagem?