Resenha - O Sal da Vida | Françoise Héritier

Existe uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações, além dos sentimentos poderosos e dos engajamentos políticos. É sobre isso que este livro fala. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: “O Sal da Vida”. Nesta meditação, nesta espécie de poema em prosa em homenagem à vida, totalmente íntimo e sensorial, a renomada antropóloga Françoise Héritier vai atrás das pequenas coisas agradáveis (às vezes nem tanto) às quais aspira o mais profundo do nosso ser: as imagens e as emoções, os momentos marcados de recordações que dão sabor à vida, que a tornam mais rica e mais interessante do que muitas vezes acreditamos que ela seja, e que nada nem ninguém poderá nos tirar, nunca, jamais!
 
Poético, inspirador e comovente. Agora sim a frase "Recordar é viver" faz todo o sentido. Uma obra composta por, basicamente, lembranças. Fatos, acasos, momentos que se passaram pela vida de Françoise e que ficaram marcados em sua memória, de maneira positiva ou negativa. A autora, de forma inusitada, ora poemas, ora apenas doces e singelas palavras, mas sempre com um foco em mente, mostrar a todos o verdadeiro "Sal da vida", uma pitada ou duas ou mais que faz toda a diferença.
 
Ao começar a ler a obra confesso que não havia me interessado muito pelo simples fato de eu não ter começado a me por no lugar da autora, já que essa é meio que uma biografia auto-reflexiva. A partir do momento que passei a enxergar os lugares, os fatos e acontecimentos - e cheguei ao ponto de me pegar rindo sozinha - pude entender do que se tratava.
 
Em uma diagramação e narrativa fantástica e bastante atual, a autora juntamente com a editora Valentina propõe aos leitores uma forma diferente de agradar o leitor. A capa e o nome chama bastante a atenção, mas só podemos entender o que realmente elas significam quando se lê a obra, e começamos a entender o que na verdade faz a vida valer a pena. Seja um sorriso, um abraço, regar um jardim florido, cumprimentar um desconhecido na rua, divertir o público entre outros. O que faz a sua vida valer a pena?
 

Sobra a Autora
 
 
Françoise Héritier, 1933, antropóloga e etnóloga, autora, entre outras obras, de Deux soeurs et leur mère e de Masculin/Féminin, é professora honorária do Collège de France, onde dirigiu o Laboratório de Antropologia Social (criando a cátedra de Estudos Comparados das Sociedades Africanas) e sucedeu Claude Lévi-Strauss (a pedido do próprio). Foi diretora da École des Hautes Études em Ciências Sociais e presidente do Conselho Nacional de combate à AIDS. 
 


Um comentário:

  1. http://florencemodasbranca.blogspot.com.br/2014/02/le-sel-de-la-vie.html#gpluscomments

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?