Resenha - Um Gato de Rua Chamado Bob | James Bowen

A história da amizade entre um homem e seu gato

Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks).

Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados. Um Gato de Rua Chamado Bob é uma história comovente e edificante que toca o coração de quem a lê.

James Bowen nasceu em Surrey, em 1979. Após o divórcio de seus pais, mudou-se para Austrália com sua mãe e padrasto. Vida em casa estava tenso e, porque a família mudou-se com freqüência, James foi perturbado na escola. Ele era frequentemente intimidado, e começou a cheirar cola e ainda na educação, tornando-se um confesso "garoto tearaway", que viria a ser diagnosticada com TDAH, esquizofrenia e psicose maníaco-depressiva. Em 1997, ele voltou para o Reino Unido e viveu com sua meia-irmã, mas esse arranjo não durou, com o tempo, ele se tornou sem-teto e começou a dormir nas ruas. A partir deste ponto, James passou quase 10 anos, quer dormir na rua ou ficar momentaneamente em abrigos de caridade prazo, foi nessa época que ele começou a usar heroína na tentativa de escapar das realidades de pobreza.

Na Primavera de 2007, James foi matriculado em uma metadona programa, busking em Covent Garden, e que vivem em residências protegidas em Tottenham, Londres. Uma noite, ele voltou para casa para encontrar um gato de gengibre no corredor de seu prédio, supondo que ele pertencia a outro residente, ele simplesmente voltou para o seu apartamento. Quando o gato ainda estava lá no dia seguinte, e no dia seguinte, James ficou preocupado e descobriu que o gato não estava usando coleira ou etiqueta de identificação, e tinha uma ferida infectada na perna. James verificado com outros moradores para ver se a rua pertencia a nenhum deles, e quando nenhum deles reivindicou a posse do animal James decidiu ajudar o próprio gato.


Ele levou o gato a uma cirurgia veterinária nas proximidades gerido por uma instituição de caridade animal, que forneceu os antibióticos para tratar a ferida infectada. A fim de certificar-se de que ele recebeu o curso de duas semanas cheias de medicação, James decidiu levá-lo em um momento, enquanto ele continuava a olhar para o dono da rua. Quando ele não conseguia encontrar nenhuma informação, ele lançou o gato de volta para a rua, esperando que ele iria encontrar o seu próprio caminho de casa. Em vez disso, ele começou a seguir James ao redor, até mesmo a segui-lo para o ônibus quando ele saiu para ir busking. Preocupado que o gato tinha mais para onde ir, James levou-o em uma base permanente, nomeando-o Bob depois de um personagem do drama de televisão Twin Peaks.

Desde Bob parecia ansioso para acompanhar James para o trabalho, ele construiu um cinto de cadarço e começou a levá-lo ao longo de seus pontos regulares em Covent Garden e Piccadilly, que viajam no banco da janela do ônibus número 73. A reação do público foi positiva e os dois tornaram-se populares, aumentando a sua visibilidade ainda mais quando James começou a vender o Big Issue. Logo, o público começou upload de vídeos de James e Bob para o YouTube, e os turistas de todo o mundo iria visitar Covent Garden para vê-los. Durante este tempo, James decidiu retirar o tratamento com metadona, ele credita seu sucesso ao Bob, dizendo: "Eu acredito que ele veio a este homem pouco. Ele veio e me pediu ajuda, e ele precisava de mim mais do que eu precisava abusar do meu próprio corpo. Ele é o que eu acordar para todos os dias agora... ele definitivamente me deu a direção certa para viver a minha vida ".


Um  Gato de Rua Chamado Bob foi uma grande surpresa pra mim, esperava que fosse uma obra do estilo cômico seguindo a linha do gato mais famoso do mundo, Garfield, mas não é uma biografia de um gatinho de rua chamado Bob, e ao contrário que vocês pensem a respeito das biografias em geral - ainda mais por se tratar de uma história que retrata o relacionamento de um animal e um homem - não é nada massante, e sim surpreendente e emocionante.

James nos mostra que não só o cão, mas o gato também pode ser um maiores amigos do homem, tendo em vista o seu amor, carinho e dedicação para com ambos, pois sentiam falta disso, e de fato precisavam desse companheirismo. Chegaram à um ponto no qual um se viam dependentes um do outro, o que foi muito bom para o relacionamento. Por mais que digam que gatos em geral são traiçoeiros e ficam com o homem por interesse, Bob fazia parte da exceção. É um gato amoroso e extremamente grato pelo seu atual dono. Essa convivência dos dois ajudou muito Bowen, pois ele desde novinho tem um vida bem sofrida, e com o passar do tempo ao lado do seu amigo foi recuperando a autoestima e a maneira de enxergar o mundo.

Durante toda a sua vida James de sentiu excluído da sociedade - o que de fato acontecia -, e isso acabou o levando à outros caminhos, não indicados à ninguém, e isso foi a gota d'água, mas ele conseguiu se superar, e hoje reescreve sua história, só que dessa vez não está mais sozinho; agora ele pensa por dois e está focado em seus objetivos, e se depender dele, chegará cada vez mais alto, sem buscando novas e boas metas a serem alcançadas. 

Uma história magnífica baseada em uma biografia de superação e muita força de vontade, acompanhada de uma linda lição de moral para aqueles que desacreditam em sua capacidade de vencer. Tudo isso que estamos vivendo agora é passageiro, e nossas vidas são baseadas em sonhos, se aprendermos a focarmos neles pode ser que durem um minuto ou um eternidade, mas tudo isso depende de nós. De nossas atitudes. Você sem dúvidas irá se emocionar com essa impressionante lição de vida, e ao chegarem no final da obra, repense nos seus valores, veja se tudo que se está fazendo vale a pena, aproveite enquanto há tempo de mudar a sua história.

6 comentários:

  1. Oie :)

    Nossa eu não tenho a menor dúvida de que eu irei em emocionar com esse livro, pelo o que você disse vou ficar pensando nele durante muito tempo, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Gabriel, é um livro muito emocionante!

      Abraço

      Excluir
  2. Sou louca para comprá-lo, Wanessa! Passei na livraria ontem e pensei em finalmente tê-lo na estante. Adorei a resenha, acho que vou comprá-lo de vez! as fotos são tudo! Beijos

    Letícia Valle
    @litteratura_m
    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Vídeo feito pela BBC Brasil sobre o livro:
    http://www.youtube.com/watch?v=_0CKezmn3Ms

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bacana!
      Obrigado por compartilhar conosco.

      Abraço

      Excluir

O que você achou da postagem?