Resenha - O Livro Secreto de Dante | Francesco Fioretti

O Mistério da Divina Comédia

      Dante realmente morreu em Ravenna, por causa da malária, como todos pensam, ou alguém teria motivos para desejar sua morte e, com ela, o desaparecimento de um segredo? 

Atormentados por essa dúvida, a filha do poeta, Irmã Beatrice, um ex-templário chamado Bernard e um médico, Giovanni de Lucca, iniciam uma dupla investigação para esclarecer o que havia acontecido. Tentam, com dificuldade, decifrar uma mensagem codificada deixada por Dante em nove folhas de pergaminho e, ao mesmo tempo, começam a seguir as pistas de seus prováveis assassinos, descobrindo que muitas pessoas nutriam uma profunda antipatia pelo poeta. 

Não será nada fácil encontrar a chave do segredo escondido em A Divina Comédia e descobrir quem teria interesse em impedir o poeta de terminar sua obra. E por que Dante teria decidido esconder com tanto cuidado os últimos treze cantos do Paraíso? 

Teoremas requintados, intrigas complicadas e verdades a serem descobertas se escondem entre os versos das três partes do poema, como a identidade de Veltro, o anúncio da chegada de um misterioso vingador... No pano de fundo histórico da crise política e econômica do século XVI, O Livro Secreto de Dante entrelaça fatos reais e personagens de ficção, tecendo tramas cheias de mistério e dúvidas intrigantes. 


"A Divina Comédia é um poema de viés épico e teológico da literatura italiana e da mundial, escrita por Dante Alighieri, e que é dividida em três partes: Inferno, Purgatório e Paraíso. O poema chama-se "Comédia" não por ser engraçado mas porque termina bem (no Paraíso). Era esse o sentido original da palavra Comédia, em contraste com a Tragédia, que terminava, em princípio, mal para os personagens. 

Não há registro da data exata em que foi escrita, mas as opiniões mais reconhecidas asseguram que o Inferno pode ter sido composto entre 1304 e 1307-1308, o Purgatório de 1307-1308 a 1313-1314 e por último o Paraíso de 1313-1314 a 1321 (esta última data fecha com a morte de Dante). É uma viagem onde se sucedem diversos acontecimentos. O poema é, talvez, o maior do Ocidente e tem sua força na riqueza de suas alegorias, que tornam o texto um relato atemporal.

Dante escreveu a "Comédia" no seu dialeto local, ao criar um poema de estrutura épica e com propósitos filosóficos, Dante demonstrava que a língua toscana (muito aproximada do que hoje é conhecido como língua italiana, ou língua vulgar, em oposição ao latim, que se considerava como a língua apropriada para discursos mais sérios) era adequada para o mais elevado tipo de expressão, ao mesmo tempo que estabelecia o toscano como dialecto padrão para o italiano. A Divina Comédia é hoje a fonte original mais acessível para a cosmovisão medieval, que dividia o Universo em círculos concêntricos." Fonte: Wikipédia

Não sei por quê, mas quando vi a obra pela primeira vez entre os lançamento da editora tive a impressão de que seria uma escrita semelhante a do Charles Brokaw e Dan Brown, por um lado estava certa, por outro completamente enganada. 

Assim como o Dan Brown, Francesco deixa os leitores por dentro de todos os detalhes, por ora um pouco exagerados, se ele escrevesse de uma maneira mais dinâmica, e com menos detalhes, sem dúvidas a obra renderia muito mais. Por esses motivos a leitura acaba se tornando um pouco lenta, e até mesmo cansativa. Agora, quanto a escrita do Charles Brokaw, a comparação entre ele o o Sr. Fioretti é semelhante, já que ambos fazem um mistério como ninguém, e acaba nos surpreendendo de uma forma magnífica. O tema foi muito bem escolhido e teve uma excelente abordagem para com os segredos de Dantes.

Sobre o Autor

        Francesco Fioretti nasceu na Itália, em Lanciano, na região de Abruzzo, em 1960. Tem origens sicilianas, da região da Puglia e de regiões toscanas, Cursou a Faculdade de Letras em Florença e atuou como Professo nas regiões da Lombardia e de Marche. Atualmente se dedica a aprofundar seus estudos sobre Dante na Universidade de Eichstätt, na Alemanha. Publicou ensaios críticos e antologias escolares. Na Newton Compton, marcou sua estréia com O Livro Secreto de Dante, que imediatamente galgou posições nas listas dos mais vendidos, tendo ocupado durante meses os primeiros lugares e tendo obtido também um grande sucesso de crítica, com os direitos de tradução sendo adquiridos por sete países.

Um comentário:

  1. Ainda não tinha procurado saber mais sobre a obra, e nem lido alguma resenha do livro... Porém, agora fiquei muito interessada! Apesar da leitura não parecer das mais dinâmicas, pelo que você comentou, isso não tira muito a qualidade do livro. E meu interesse só aumenta ao saber que o livro é histórico, rs. Vou dar uma chance ao autor!

    Gostei da resenha!

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?