Resenha - Jornalismo Freelance | João Marcos Rainho

Empreendedorismo na Comunicação

           Num mundo em que o emprego está cada vez mais raro, muitos jornalistas vêem-se obrigados a trabalhar sem vínculo empregatício. Neste livro, João Marcos Rainho mostra como ser bem-sucedido na área de comunicação trabalhando por conta própria. Utilizando o conceito de empreendedorismo, o autor fala de temas imprescindíveis para quem planeja atuar como freelance - seja recém-formado ou profissional experiente. 

Entre os assuntos abordados estão - os aspectos legais ligados à prestação de serviços; a necessidade (ou não) de ter um escritório; os desafios de trabalhar em casa; a importância do planejamento estratégico; a melhor maneira de vender o próprio trabalho; o gerenciamento como fator fundamental para o microempresário de comunicação; o marketing de serviços; o papel da ética na condução do trabalho.

"Jornalismo é a atividade profissional que consiste em lidar com notícias, dados factuais e divulgação de informações. Também define-se o Jornalismo como a prática de coletar, redigir, editar e publicar informações sobre eventos atuais. Jornalismo é uma atividade de Comunicação. Em uma sociedade moderna, os meios de comunicação tornaram-se os principais fornecedores de informação e opinião sobre assuntos públicos, mas o papel do jornalismo, juntamente com outras formas de mídia, está sofrendo modificações, decorrentes da expansão da Internet." Fonte Wikipédia

Quem nunca pensou em trabalhar em casa? Pois é, todo mundo pelo menos cogitou a possibilidade de que isso acontecesse, mas depois se lembrou de que vive no Brasil. Certo? Errado! Diversas profissões estão migrando para o mundo digital, um exemplo disso são as diversas empresas grandes que permitem com que os usuários de seus produtos adquirissem tudo o que lhes fosse necessário no conforto de sua casa, sem contar que acaba sendo até mais prático, já que existe até pagamento on-line, onde é preciso apenas entrar no site de seu banco e efetuar o pagamento a partir do código de barras, principalmente. 

Agora vamos exemplificar o trabalho individual, empreendedorismo, o profissional autônomo. Me recordo que em 2007 estava começando a onda de blog, fotolog, myspace, orkut e tudo mais, mas depois de um tempo os jovens começaram a se interessar apenas pelo orkut, deixando de lado todos as mídias sociais, mas o que eles não poderiam pensar é que futuramente quase todos os que estavam "na moda" acabaram se extinguindo, o único que permaneceu, aumentou o público, e continua em fase de crescimento é a ferramenta do blogspot, e sem contar que o orkut acabou perdendo seus usuários, a "onda do momento" é o facebook e o skoob. Até mesmo o messenger deixou de ser utilizado por muitos.

Muitos jornalistas estão migrando de empresas e se tornando autônomos, o que sem dúvidas, após um certo período, acaba valendo a pena. Muitos deles começam com blogs principalmente. É o meu caso e de alguns dos colunistas aqui no Estante Seletiva. Alguns formados, outros concluindo outros que pretendem ser ainda jornalistas. Todos freelancer. A obra "Jornalismo Freelance" é uma obra fantástica, indicada para todos os amantes da comunicação; repórteres, jornalistas, estudantes e etc.


Sobre a Editora
     
      Há mais de trinta anos no mercado editorial, a Summus sempre se pautou pelo equilíbrio entre buscar o novo, reafirmar as mensagens de validade permanente e contestar posturas conformistas.

Assim foi em toda a sua carreira: foi a primeira e única a editar livros de Super-8, forma popular, na década de 1970, de registrar imagens domésticas em movimento. Quando o vídeo doméstico chegou, foi a primeira editora a lançar um manual para uso de amadores.

Popularizou a Gestalt-terapia e a Bioenergética dentre outras novas linhas psicoterapêuticas. Deu ênfase ao estudo do movimento corporal, editando as obras clássicas e as novas tendências. Renovou a literatura de apoio à educação. Abriu novas possibilidades aos textos de comunicação. Trouxe para o Brasil os principais textos de programação neurolingüística, antes de sua popularização no país. Antes da onda “New Age” já editava – e o faz incessantemente – livros que interligam o corpo e a mente.

Desta forma se construiu e sedimentou uma forte marca no cenário editorial brasileiro. A etiqueta Summus confere ao livro uma garantia, ao mesmo tempo que aumenta a responsabilidade e dedicação ao leitor.

Esta tem sido a trajetória da Summus. Acima de tudo, renovar-se a cada dia, fazendo do tempo um mestre para saber produzir melhor; e do espírito jovem de sua equipe, um veículo para novas buscas. 

2 comentários:

  1. parece ser uma ótima dica para os jornalistas
    Beijokas
    http://www.estilopropriobysir.com/

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?