Resenha - Respirar, Meditar, Inspirar | Priscilla Warner - Editora Valentina

A jornada de uma mulher em busca de calma e paz de espírito

Do Pânico à Paz “Eu tinha muito do que uma mulher poderia desejar para se dizer feliz: um bom marido, compreensivo e atencioso, um casamento bem-sucedido, dois filhos amorosos e um best-seller; em suma, uma excelente vida. Mas, ao contrário do que parecia, apesar de todo o sucesso e sorte, eu sofria de ansiedade crônica e tinha frequentes ataques de pânico. Esses ataques me sufocavam; era insuportável. Tentei a automedicação, no início com uma garrafinha de vodca que eu levava escondida comigo, e, mais à frente, parti para a alopatia e comecei a tomar Rivotril diariamente. Depois de uma fortíssima crise, decidi que tinha de dar um fim àquela situação: meu mantra pessoal passou a ser ‘Neurótica, cura a ti mesma’.” 
"Quem não aceitar o controle educativo das potencialidades emocionais através da meditação e da reflexão, terá de admitir, no futuro, o grave engano que cometeu." - Emídio Brasileiro
Este emocionante depoimento expõe o drama de milhões de pessoas, em todo o mundo, devastadas pela temida Síndrome do Pânico. Priscilla, uma nova-iorquina espirituosa, parte numa jornada em busca do monge tibetano que, acredita ela, habita todos nós. Uma jornada a partir da meditação diária rumo ao equilíbrio de corpo e alma, coração e mente, e, de uma vez por todas, o controle dos nervos. Nesse caminho sinuoso, muitas vezes pedregoso e árido, ela foi do pânico à paz e conheceu uma enorme variedade de práticas de cura alternativa e espiritual, algumas sérias, outras... nem tanto. Este livro, na verdade, deve ser o fiel companheiro dos leitores em busca de qualidade de vida e plenitude. Acredite, é possível, sim!
"Busco entre o silêncio, a meditação e a música o equilíbrio da minha loucura, pois inocente é, aquele que se acha normal." - Rama Pashupati
A meditação encontra-se no meio de dois polos: a concentração e a contemplação. É comumente associada a religiões orientais. Há dados históricos comprovando que ela é tão antiga quanto a humanidade. Não sendo exatamente originária de um povo ou região, desenvolveu-se em várias culturas diferentes e recebeu vários nomes. Floresceu no Egito (o mais antigo relato), na Índia, entre o povo Maia etc. Apesar da associação entre as questões tradicionalmente relacionadas à espiritualidade e essa prática, a meditação pode também ser praticada como um instrumento para o desenvolvimento pessoal em um contexto não religioso.

Você acredita em milagres? E na força, e capacidade, da meditação? A autora superou os ataques de pânico, a ansiedade, e seus problemas pessoais com a ajuda da meditação. O Dalai Lama foi o mais importante motivador durante essa mudança, pois, como ele mesmo já dizia: "A mais profunda raiz do fracasso em nossas vidas é pensar, 'Como sou inútil e fraco'. É essencial pensar poderosa e firmemente, 'Eu consigo', sem ostentação ou preocupação." Ou seja, a hora é agora. Não há mais tempo de prorrogar o que já devia estar ser tido como feito. 

Sua melhora foi devida a muito emprenho e dedicação, e sem dúvidas a meditação foi o ponto de partida fundamental para que isso fosse possível. Juntamente a mudança de hábitos e conceitos, e o equilíbrio pessoal de fato reinando, tudo isso foi capaz de se fazer presente com o passar do tempo. Dente todas as dicas que obtemos durante a leitura, destacam-se as seguintes: ora ouvir boa música, ora estar em silêncio e olhar seu interior. Ser bom; fazer o bem. Se desligar do material e tentar fazer mais que "apenas existir". Uma obra fundamental para todos os amantes da meditação e da plena tranquilidade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou da postagem?