Resenha - O Oceano no Fim do Caminho | Neil Gaiman

"Era apenas um lago de patos, nos fundos da fazenda. Nada muito grande. Lettie Hempstock dizia que era um oceano, mas eu sabia que isso não fazia o menor sentido. Lettie falou que elas haviam atravessado o oceano até ali, vindas da velha pátria. Sua mãe dizia que Lettie não lembrava direito, e que não tinha sido muito tempo atrás, e, de qualquer maneira, a velha pátria havia afundado. A velha sra. Hempstock, avó de Lettie, argumentava que ambas estavam erradas, e que o lugar que afundara não era a velha pátria de verdade. Ela declara recordar-se bem da velha pátria de verdade. Afirmava que a velha pátria de verdade havia explodido"

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

"Fez o silêncio. As sombras pareciam ter se tornado mais uma vez parte da noite. Pensei no que acabara de dizer, e soube que era verdade. Naquele momento, pela primeira vez na minha infância, eu não estava com medo do escuro, eu estava mesmo disposto a morrer (tão disposto quanto qualquer criança de sete anos, certa de sua imortalidade, pode ficar) se morresse esperando por Lettie. Porque ela era minha amiga."

Esta é uma obra repleta de mistérios que propõe ao leitor uma grande surpresa a cada página, começando da primeira. Uma narrativa muito bem escrita, e ótima diagramação. "O Oceano no Fim do Caminho" é o primeiro livro do Neil Gaiman o qual eu leio, e não me arrependo. O autor possui uma característica difícil de ser encontrada nos demais escritores da atualidade, ele consegue expressar em poucas palavras os sentimentos de seus personagens, coisa que tomaria até uma página inteira, e resultaria em uma obra com mais de um volume, ou até mesmo uma série ou saga. Isso me chamou bastante a atenção.

Outra coisa que me chamou bastante a atenção também foi a dedicação da editora Intrínseca para com o livro do Gaiman. Todos os detalhes são fantásticos, desde a diagramação - já citada acima -, passando pela capa muito bem pensada, até a divulgação. Estão todos trabalhando bastante e prol dessa grande obra. Desejo que todos os leitores, amantes de suspense e mistério, que revelem esse grande mistério dessa família, e que tomem cuidado, pois nunca se sabe o que pode estar ao teu lado, te vigiando, ou escondendo algo que poderá mudar a história de sua pátria.

Sobre o Autor

Neil Richard Gaiman é um autor de romances e quadrinhos inglês. Vive em Minneapolis, Estados Unidos e é casado com Amanda Palmer, da banda Dresden Dolls.

Entre suas obras em prosa estão "Deuses Americanos" e "Belas Maldições", a segunda em parceria com Terry Pratchett; e sua criação quadrinística mais conhecida é Sandman, que tem como personagens principais Sandman, a personificação antropomórfica do Sonho, também é conhecido como Morpheus, numa referência à mitologia grega e seus irmãos, Morte, Destino, Delírio, Desejo, Desespero e Destruição.

As capas da revista foram desenhadas pelo parceiro artístico e amigo de Neil Gaiman, Dave McKean (com quem trabalhou em outras histórias em quadrinhos como Violent Cases, Orquídea Negra e Mr. Punch). Em seus trabalhos cinematográficos, encontramos "Mirrormask", seu filme ao lado de Dave McKean e a Jimmy Hensons Company, estreou em Maio de 2005 nos cinemas e "Neverwhere" mini série para televisão que escreveu, e é exibido pela BBC inglesa. Em 2007, entrou em cartaz a animação Beowulf, co-roteirizada por ele, além do longa de Stardust, uma de suas mais aclamadas obras, realizada ao lado de Charles Vess.

13 comentários:

  1. Oie :)

    Nossa esse livro já está na minha lista enormee de compras para esse ano espero conseguir lê-lo né, como sempre a resenha ficou top :)

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Oie!
    Adorei sua resenha!
    estou vendo vários comentários sobre este livro e estou muito curiosa. Parece ser bom.

    Beijos*
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha, não conhecia esse livro, agora quero bastante ler..
    Beijos ღ

    ResponderExcluir
  4. Essas obras misteriosas despertam ainda mais a curiosidade para ler... parabéns pela resenha, flor! beijinhos e lindo final de semana.

    ResponderExcluir
  5. Ai que resenha linda! Vou enlouquecer com tantos livros bons pra ler <3

    Beijos
    http://itsjuliasfault.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. esse livro realmente teve uma divulgação enorme! o.O Tem que ser bom mesmo!
    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Sou fã do Gaiman, ainda tenho q ler esse livro e o Livro do Cemitério, mas tem tanta coisa na minha lista uhauha. To terminando de ler o Guia do Mochileiro das Galaxias, mas ainda tem o sexto livro q nao comprei e quero ler Nas Montanhas da Loucura tmb, entre outras coisas.

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?