Resenha - O Futuro de Nós Dois | Jay Asher & Carolyn Mackler

É 1996, e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio nos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-ROM da America Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a quinze anos. Todos se perguntam como será o futuro. Josh e Emma estão prestes a descobrir...

“Sim, é ótimo planejar a vida, quando você acha que tudo vai dar certo. Mas, e quando mostram para você, uma vez após a outra, que você não tem quase controle nenhum sobre nada?”

Quando eu soube do lançamento da obra O Futuro de Nós dois aqui no Brasil pela Galera Record fiquei muito empolgada. Por que? Vejamos: quem lembra de quando ainda não existia a velox, daí era preciso esperar chegar a madrugada para poder utilizar a internet discada para não atrapalhar ninguém que fosse utilizar o telefone, já que a linha ficava ocupada? Quem não lembra do ICQ (pré-msn), do Orkut e do Discman  Pois é, pessoal. Eu lembro, e me senti uma titia lendo ao ler esse livro, juro - uma vez que usei tudo isso. 

"Os tempos primitivos são líricos, os tempos antigos são épicos, os tempos modernos são dramáticos." 
Victor Hugo

Josh e Emma se conhecem desde pequenininhos, e de lá até seis meses atrás continuaram sendo amigos, sendo que após assistirem um filme de Toy Story nada continuou sendo como antes. Passou a ser uma amizade um tanto estranha, limitada a um leve aceno de cabeça e um sorrisinho de lado, nada mais que isso. A jovem já tinha um computador, e estava ansiosa para começar a usar a internet, sendo que poucos - pouquíssimos, para ser mais exata - tinham o CD-ROM de instalação da AOL (America Online), e ela ainda não. Josh, ao ganhar esse CD ele dá para Emma, já que ainda não possui um computador.

Emma ficou bastante contente ao ganhar o CD de instalação de seu amigo, Josh. O quanto antes ela foi logo instalar, mas algo estranho apareceu na tela, e logo abriu uma página dizendo "Facebook". O que é "Facebook"? Afinal, eles ainda estavam em 1996, e o Facebook surgiu anos anos depois. Seria esse um aviso do que aconteceria no futuro? Pois é, mas as surpresas não pararam por aí. Lá em cima estava escrito "Emma Nelson", mas era um jovem um pouco mais velha, mas mesmo assim bonita. Se parecia, de fato, com a Emma. O que estava acontecendo? O futuro... está planejando algo. Mas o que? São muitas perguntas que rondam a cabeça da jovem. Ao procurar seu amigo, fica também surpreso e assustado, mas não desconfia do que possa estar acontecendo. Ele não fazia a menor ideia.

Ao garimparem ainda mais naquele site, eis que encontram várias fotos de desconhecidos - não tão desconhecidos assim. Amigos, muitos amigos, quase quatrocentos. "Que absurdo! Quem tem tanto amigos assim?" - Emma pensava. Até que eles descobrem que isso nada mais é que o futuro deles, ou seja, o que eles seriam daqui pra frente - e o que aconteceria. Pior: eles são capazes de reescrever o seu futuro, mesmo que isso custe muito, muito caro. Eles estarão dispostos a pagar esse preço.

Uma década de noventa inspiradora. Um romance saudável e bastante juvenil. Indicado à todos os leitores que curtem um romance 'à la Legião Urbana' e regado de cafuné e friozinho -   pelo menos assim eu o imagino. O leitor vai se pegar com um sorrisinho de lado, uma mordidinha no lábio, e até mesmo uma lágrima pedindo para sair. Normal, ainda mais para quem se identifica com a história. São 381 páginas de puro êxtase. Para prevenir o nosso futuro de possíveis tristezas, mude seu presente. Presenteie a sua vida com boas companhias.

2 comentários:

  1. Adorei a resenha sem spoilers <3 To lendo o livro ao mesmo tempo que Paper Town e estou adorando cada pedacinho!

    http://itsjuliasfault.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?