Resenha - Cozinha Confidencial - Uma aventura nas entranhas da culinária | Anthony Bourdain

“Falava-se que Rasputin costumava comer um pouco de arsênico no café da manhã todos os dias, criando resistência para o dia em que um inimigo tentasse envenená-lo, e para mim isso parece sensato. Essa é uma das diversas afirmações cômicas, e ao mesmo tempo perturbadoras, que Anthony Bourdain escreve em “Cozinha Confidencial - Uma aventura nas entranhas da culinária”.

Bourdain lançou o livro que todos os chefs e demais trabalhadores da cozinha mais temiam: revelou os segredos sórdidos e obscuros de seu local de trabalho. Além disso, conta sua própria história e, com um sarcasmo acompanhado de modéstia e muito senso do real, descreve como se tornou o dono do renomado restaurante nova iorquino ‘Les Halles’.

O livro começa com o autor relembrando sua infância abastada, com férias na França e passeios para meninos ricos. Quando era criança, o interesse de Bourdain por comida não era muito diferente dos outros garotos, mas uma sopa fria mudou tudo. Depois de ter provado o prato, chamado Vichyssoise, Bourdain mudou totalmente sua relação com a comida. Ele começou a provar tudo que colocavam em seu prato e conta que, às vezes, fazia questão do prato mais esdrúxulo. 


“Decidi que iria superar meus pais que se julgavam gourmets. E ao mesmo tempo eu poderia deixar meu irmão mais novo como um pouco de nojo. Eu iria mostrar-lhes quem era o gourmet! Cérebro? Queijo fedido que cheirava como pés de um cadáver? Carne de cavalo? Pão doce? Manda a ver!”. 

Desde então, Bourdain tornou-se não só um apreciador de todo tipo de comida, como também alguém com pretensões de ser chef. 

A primeira vez de Bourdain numa cozinha foi bastante complicada. Ele foi humilhado e debochado. Saberia mais tarde que tais atitudes praticadas pelo companheiros de cozinha são uma das “regras” do ambiente de trabalho. Envergonhado e depois de notar que sabia muito pouco sobre como se comportar  e  cozinhar, Bourdain matriculou-se na CIA (sigla em inglês para Instituto de Culinária da América) a fim de aperfeiçoar as técnicas que já tinha aprendido e se habilitar para trabalhar com profissionais.

O ritmo rápido e a pontuação precisa de quem foi influenciado literariamente pelo beat Jack Kerouac e musicalmente pelo punk dos anos 70, fazem com que seja difícil largar o livro. A leitura vale a pena pois é muito raro um depoimento tão franco e bem articulado de alguém que vive pela gastronomia e faz dela seu ganha-pão. Diferente de alguém que penetra numa cozinha e conta sua experiência (caso do excelente livro “Calor” de Bill Buford), Bourdain fala de diversos temas envolvendo o mundo dos fogões e panelas, ao mesmo tempo que conta a trajetória de sua carreira e vida pessoal (ambas cheias de altos e baixos). Nina Horta finaliza a orelha do livro escrevendo: 


“...em meio a nuvens de fumaça de maconha, quantidades importantes de cocaína, outras várias drogas e uma animada atividade sexual, Bourdain mistura lembranças e comentários, com direito a mafiosos e Frank Sinatra, muito derramamento de sangue, bebedeiras gigantescas, pitadas de suspense e uma alegria atordoante no ar".

5 comentários:

  1. Uau! Nunca tinha ouvido falar no livro, mas como tenho um interesse enorme por culinária/gastronomia, nem pensei duas vezes para começar a ler a resenha. E me surpreendi ao terminar a leitura morrendo de vontade de ler o livro ou, ao menos, dar uma boa folheada nele na livraria, com direito a ler alguns trechos ao acaso.
    Só fiquei com uma dúvida: o livro é escrito como uma autobiografia? Ou são relatos misturados a curiosidades? Não saquei muito bem.

    Bj, Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Nossa que demais, estou doida por um livro destes!
    Tem sorteio de uma peça Galaxy Print da Sheinside no meu blog! :)
    xx
    Tali
    nuasecruasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Aline! Que bom que você se animou em ler o livro...

    Respondendo sua pergunta: O livro é composto por uma série de relatos onde, de vez em quando, o Bourdain se insere no livro como personagem e conta as coisas que aconteceram com ele. Histórias, segredinhos, gírias palavrões... É muito engraçado e surpreendentemente bem escrito.

    O livro saiu pela Companhia das Letras aqui no Brasil. E dá pra comprar em inglês pela Amazon.

    Obrigado pelo comentário!

    Abçs!

    ResponderExcluir
  4. OLá Wanessa,

    Livro interessante, para que faz gstronomia seria bem útil....parabéns pela resenha....tem post novo no blog...passa lá....abçs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Bacana sua resenha. Então, não é um livro que eu me interesso muito, mas parece ser bacana. Gostei.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?