Resenha - (In) visível Real

"A vida dos outros, tal como nos chega na chamada realidade, não é cinema mas sim fotografia, ou seja, não podemos apreender a ação, mas apenas seus fragmentos eleaticamente recortados. [...] dar coerência à série de fotos para que se tornassem cinema significava rechear com literatura, presunções, hipóteses e invenções os intervalos entre uma e outra foto". 

Neste trecho de O Jogo da Amarelinha, Morelli, um dos personagens criados por Julio Cortázar, afirmava que um livro deveria ser escrito como os desenhos que seguem as leis da Gestalt, ou seja, os traços apenas guiariam o observador a construir imaginativamente determinada figura e, "por vezes, os traços ausentes eram mais importantes, os que realmente contavam".

De certo modo, (In) visível Real sintetiza estas mesmas questões de visibilidade e invisibilidade. Hoje, o que resta do movimentos coreográficos de Luiz Arrieta e Dani Lima, da sonoridade das canções de Chico Buarque e Edu Lobo e da plasticidade dos cenários e figurinos de Rosa Magalhães em O Grande Circo Místico são estes pequenos contornos que chamamos de fotografia e que são incapazes de traduzir integralmente este espetáculo. Talvez, por isso, nunca tive a ambição de chamar este livro de documentário. Se algum termo precisar ser usado que seja inventário, que deixa de lado conceitos frágeis como a verdade, e traz à tona uma carga de afetividade e doação que me parecem mais apropriados.

Por fim, meu processo de selecionar, ordenar e editar as fotografias deste balé foi cinematograficamente cortaziano. Revirar os quase três mil negativos, os copiões, enfim, todas essas "sobras de tempo" me trouxeram lembranças, rostos e sensações que iam ligando uma imagem à outra e compondo um filme muito particular.

Para mim, nada aqui é espetáculo. Tudo dança. - Tom Lisboa

Dança e fotografias. Seria essa a combinação perfeita? Imagens que mais se parecem estar em movimento quando embalados por uma boa música. Simples, porém ousado. Uma ideia inovadora, especial. Pronta para ser degustada acompanhada de um bom vinho. 

A leveza de cada passo, cada sentimento que transborda e quase nos faz ir à loucura. Esperança em cada olhar, distinto, a cada braços e mãos entrelaçadas que ali se encontrar aparentam estar em êxtase, sem se importar com o que pensam, mas sim, pensam em satisfazer toda aquela plateia que anseia por arte. Por eles. O Tom soube como construir as imagens e uni-las às músicas, ora cantam imagens, ora pensam cantar músicas.

Imagens que parecem ser o começo, mas pode não ter fim. Gestos que falam mais que palavras. Sonhos se realizando em um só lugar, em etapas; curtem a cada segundo. Corpo e arte, ou melhor, corpo é arte. O que parece não fazer sentido no começo, acaba virando um quebra-cabeça a ser decifrado chegando ao fim. Imagens que comandam, mandam e desmandam, e obedecem à estímulos involuntariamente cogitados.

"Será que ela é moça. Será que ela é triste?" A música transparece alguns sentimentos esquecidos, que aos poucos se revelam. No ar, toda aquela leveza acaba de se tornar essencial para os nossos olhos, e quem responde é o coração. Bate tão forte que quase não se aguenta. 

Brincadeiras que refletem o ser; que falam por si. Palhaços. Com aquelas roupas belíssimas que encantam e cantam sem que possamos ouvir; jovens, adultos e quem mais não podemos ver. Sorrisos que escondem dor; rostos tristes, simulados, que ofuscam tudo que há de ruim e que não pertence àquele ambiente. Muita felicidade presente em inúmeros atos. Distintos. 

O corpo fala estando em pleno silêncio; jamais se cala. Caras e bocas que traduzem sentimentos; e a boca sem sequer soltar uma palavra. Um desespero temporário, em cada cena. Tudo passa. 

Entregues de corpo e alma. Todos em uma só sintonia. Lugar onde o medo não tem lugar. Corpos que juntos expressam vozes ocultas e te libertam da loucura. Pessoas que deixam de falar por si, e que agora seu corpo é que tem a voz. Sincronismo, um sinal de amor; e um amor que se derrete através do rítmo; uma viagem. Tudo parece utopia.

Chega ao final, aparentemente. Agradecimentos e a vida que segue, transformada e transformadora. Todos de pé, contentes e chorosos, esperando pela próxima viagem. Todos se reúnem, realizados pelo que fizeram e pelo que se tornaram. Um espetáculo, por fim, eterno.


Adquira já seu exemplar clicando aqui!

24 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar do livro, mas essa de misturar dança com fotografia parece ter dado origem à uma história bem interessante. Vou procurar saber mais sobre o livro depois :D
    Beijos, Carol
    Thousand Worlds

    ResponderExcluir
  2. Um livro diferente que vai agradar quem ama as artes com certeza.:)

    ResponderExcluir
  3. Ameei o penultimo parágrafo! *-*
    espetacular.

    http://www.wanessacarvalhoem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia este livro, fiquei meio curiosa, acredito que eu adoraria esse livro, sou fã da dança.

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Wanessa,

    Não conhecia o livro e parece ser interessante.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não conheço o livro e na real leio pouco, tenho uma filha que lê muito. Mas achei bem legal
    PASSANDO PARA DESEJAR
    BOA QUARTA! ♥
    ♥ Beijos coloridos!

    ResponderExcluir
  7. Que delícia de livro! Parece ser ótimo, fiquei encantada só de ler a resenha... Pelas sensações e emoções que provoca! :)
    Beijo, tenha uma boa noite
     Just Carol

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro!
    Parece interessante, preciso criar o hábito de ler mais.
    Boa terça-feira Flor!
    Fica com Deus!
    Beijo!

    http://nannacunha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Adorei, parece ser realmente muito bom. Valeu a dica;)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Parece ser um excelente livro! bj

    ResponderExcluir
  11. Pela resenha parece ser um ótimo livro Wanessa... bjokas

    ResponderExcluir
  12. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas mistura elementos que me agradam bastante, parece ser ótimo!

    Beijos
    Thays

    www.bookaholicgirls.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Que legal que vc se interessou em cobrir o evento daqui de itaboraí.
    Vc deve pegar o onibus no terminal de niterói, o nom eé venda das pedras, se eu não me engano é na penúltima plataforma. E pedir pra descer em frente onde era a clinica são joão batista, antes da praça de venda das pedras.
    Se vc quiser ir mesmo entre em contato comigo para reservar seu lugar de blogueira lá no evento. Tem meu email lá no blog. Bjos!

    ResponderExcluir
  14. Olá! Obrigada pela visita ao blog. Passeando por aqui e me interessando pelos assuntos. Bjs e ótimo restinho de semana.

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro e me interessei em conhecer mais sobre ele.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Muito boa a resenha, parabéns! Acho que não é um tipo de livro que eu me interessaria.

    ResponderExcluir
  17. Quando venho aqui fico apaixonada pelos posts, pois seu blog é sempre tão interessante.
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. UAU parece ser muito bom, obrigada pela dica :]
    http://www.coisasdedoll.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Não tinha ouvido falar, boa dica flor
    Perfeita Teen

    ResponderExcluir
  20. esse tipo de livro nao é do meu estilo , mais adorei a resenha!
    Bjus
    Rosachoquemakeup.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia o livr, mas lendo a resenha só sei que preciso lê-lo já hahaha já coloquei na minha listinha. adorei
    =]

    Beijos
    Nathália - Fashion Jacket

    ResponderExcluir
  22. Esse livro parece muito bom..gostei da resenha!! Bjs. Sandra

    ResponderExcluir
  23. Não conhecia esse livro, mas pelo que li acima ele parece sem muito legal e interessante, de certo modo diferente.

    Abraços
    www.entrepaginasdelivros.com/

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?