Lançamento - Eu sei o que você está pensando

“De forma magistral,Verdon mantém seu protagonista sempre um passo à frente do leitor. E cria o tipo de mistério que faria Sherlock Holmes perder o sono.” - The New York Times
Eu sei o que você está pensando propõe um enigma que parece insolúvel. Um homem recebe pelo correio uma carta provocadora que termina da seguinte forma: “Se alguém lhe dissesse para pensar em um número, sei em que número você pensaria. Não acredita? Vou provar. Pense em qualquer número de um a mil. Agora veja como conheço seus segredos.”
O destinatário, Mark Mellery, pensa no número 658 e, ao abrir um envelope que acompanha a mensagem, descobre que o autor da carta previu corretamente o número que ele acabara de escolher de modo aleatório. Como isso seria possível?

Desesperado com os bilhetes ameaçadores que se seguem à carta, Mark, um guru da autoajuda, procura um velho colega de faculdade, o brilhante detetive David Gurney, recentemente aposentado do Departamento de Polícia de Nova York.
Aos 47 anos, 25 deles dedicados a desvendar terríveis casos de homicídio, David acaba de se mudar com a esposa, Madeleine, para uma fazenda no interior do estado e tenta se adaptar a um novo estilo de vida. Mas sua mente, extremamente lógica, é fisgada pelo quebra-cabeça apresentado por Mark.
O “superdetetive”, apelido que ganhou da imprensa no auge da carreira, percebe que encontrou um vilão à sua altura quando as estranhas ameaças terminam em morte. Tudo leva a crer que o assassino, além de ser clarividente, cometeu um crime impossível, deixando pistas sem sentido e desaparecendo no meio do nada.
Consumido pelo desafio de encontrar uma resposta lógica para o caso, David aceita trabalhar como consultor na investigação, colocando em risco seu já debilitado casamento e até mesmo sua vida.
Considerado uma revelação, John Verdon criou em seu livro de estreia um personagem denso, cerebral, capaz de resolver crimes dignos de Hercule Poirot e Sherlock Holmes. Aclamado pelo público e pela crítica, Eu sei o que você está pensando foi vendido para 24 países.
“Verdon controla o ritmo da narrativa, conta a história de um casamento profundo mas problemático, analisa o que significa ser consumido pelo trabalho mesmo que isso possa matá-lo e exige que o leitor use o cérebro para imaginar o que vem a seguir.” - Salon
Quando recebe uma carta desafiando-o a pensar em um número de um a mil e orientando-o a abrir um envelope que contém o número que ele escolheu, Mark Mellery fica apavorado. Como alguém poderia saber em que número ele pensaria? Quem seria o remetente misterioso que o conhecia tão profundamente?
Intrigado com o enigma e preocupado com o tom de ameaça da correspondência que passa a receber nas semanas seguintes, Mark decide recorrer a um amigo que não vê há anos, o famoso detetive de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York David Gurney.
Depois de uma carreira de sucesso, em que desvendou importantes casos de assassinatos em série, David se aposentou e acaba de se mudar com a esposa para o interior do estado, na tentativa de salvar seu casamento e construir uma vida nova. Mas, com a curiosidade atiçada pelo mistério apresentado pelo amigo, o detetive se vê novamente às voltas com seu maior vício: a investigação.
Quando a situação foge ao controle, dando origem a uma onda de assassinatos brutais, David é contratado como consultor da promotoria. Com sua lógica perfeita e sua clareza cristalina, ele descarta uma hipótese após outra – hipnose, percepção extrassensorial – e faz deduções que deixam a polícia local espantada.
Mesmo assim, o detetive parece longe de vencer seu opositor, um criminoso sofisticado e doentio, que se comunica por meio de poemas e que, até onde se sabe, é capaz de ler a mente de suas vítimas.
Enquanto busca decifrar o enigma e estabelecer um padrão que possa ajudá-lo a deter o assassino, David tem que enfrentar seus próprios fantasmas, se reconciliar com o passado e se preparar para ficar cara a cara com seu adversário.
Uma obra-prima de suspense, o livro de estreia de John Verdon ganhou aplausos do público e da crítica não só por sua trama envolvente, mas pela imersão na vida de personagens que parecem de carne e osso e, principalmente, pela criação de um protagonista inesquecível.

7 comentários:

  1. Bom se a critica do filme feita pelo the new york times diz isso! o livro deve ser bom mesmo!♥
    http://kelly-club.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. quero ler ainda hoje!!! parece ótimo!

    beijooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Wanessa,

    Esse livro esta na minha lista, ótima dica....abçs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Sabe o que eu mais gosto no seu blog? Que todas as vezes que eu passo por aqui tem uma indicação muito boa e que duvido que encontraria sozinha.
    Eu estou lendo 4 vidas de um cachorro, mas já tenho uma listinha para ler logo depois e esse entra tbm! Adoro livros que viram filme, digo os livros, porque tbm são poucos os filmes que ficam tão bons né? o que você acha?

    bjbj http://viceveersa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Érika!
    Fico feliz por gostar daqui. Obrigada!
    Só conheço o "4 Vidas de Um Cachorro" de nome, mas dizem que é muito bom.
    Prefiro os livros que viram filme, mesmo não sendo tão bons - geralmente. Por isso eu sempre digo, quer ver o filme, por quê não lê o livro primeiro? Os livros são sempre melhores.

    ResponderExcluir
  6. Ganhei esse livro em uma promo e estou louca para que ele chegue!!! \Õ/

    tenho que lê-lo são criticas bem interessantes!

    Beijos :*
    Natalia http://www.musicaselivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Nossa, primeiro: ADOREI o efeito do mouse na tela..fico só brincando com ele rsresrs

    Em relação ao livro: faz tempo q não ouvia falar dum suspense tão intrigante, imagine misturar clarividência e assassinato, principalmente pq a clarividência está sendo usada pro mal... diferente de outras histórias e filmes...
    muito interessante esse livro, o título já é assustador e instigante...
    bjs até

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?